Manchete de O Globo reforça blasfêmia da Mangueira